Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
02 de novembro de 2019, 07h33

Deputado Capitão Augusto joga Constituição na privada e diz querer nova Carta

O parlamentar afirma que chegou a estudar a hipótese de trocar a privada por uma lata de lixo, mas diz que decidiu manter a imagem controversa para chamar atenção para sua ideia

Foto: Reprodução

O deputado federal, Capitão Augusto (PL-SP), montou imagem com a sua assinatura onde joga um exemplar da Constituição na privada. Ao lado, ele colocou mensagem em que prega a convocação de uma nova assembleia nacional constituinte.

A mensagem, que circulou em grupos de conversas no Whatsapp, é acompanhada pela seguinte convocatória: “O Brasil precisa de mudanças na Constituição”.

O deputado nega que seja uma tentativa de cercear direitos e diz que a Constituição atual “não funciona” pois tentou contemplar muitos temas. “O próprio Paulo Guedes disse que a Previdência não deveria estar na Constituição”.

“Ao mesmo tempo nada funciona. A saúde vai mal, a educação vai mal. Segurança nem se fale”, afirma, queixando-se de que emendas à Carta que tramitam no Congresso não avançam com a celeridade que ele gostaria, como a redução da maioridade penal.

“Aprovamos o texto na Câmara no ano passado e até agora o Senado não colocou para votar”, afirma.

“Ficam endeusando a Constituição cidadã. Teve avanços sim, mas o Brasil poderia estar muito melhor”.

O parlamentar afirma que chegou a estudar a hipótese de trocar a privada por uma lata de lixo, mas diz que decidiu manter a imagem controversa para chamar atenção para sua ideia.

“Eu acho a Constituição atual muito ruim. Poderia ter colocado uma lata de lixo? Poderia, mas é bom para chamar a atenção do pessoal para debater”.

Capitão Augusto é um dos principais aliados do ministro Sergio Moro (Justiça) no Parlamento e comandou o grupo de trabalho que analisa as medidas do pacote anticrime proposto pelo ministro.

No início do ano chegou a ser vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara, mas optou por deixar a função por queixas à articulação política do time do presidente.

Ele diz não concordar com a afirmação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que sugeriu a reedição de um AI-5 para reprimir uma hipotética manifestação popular incitada pela esquerda.

“Ninguém da direita concorda com o que ele disse, não encontra eco”, diz.

Ele pretende reunir assinaturas de parlamentares favoráveis à elaboração de uma nova Carta e iniciar o debate sem um prazo definido para conclusão.

Com informações do Painel, da Folha

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum