Detento de SP pede impeachment de Bolsonaro em carta escrita à mão

Homem diz que presidente deve ser afastado por ter feito "um chamado para as Forças Armadas agirem com o escopo de limitar o Congresso e o STF"

Um detento de uma penitenciária em São Paulo escreveu uma carta à mão ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pedindo a abertura de processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. O texto diz que o ex-capitão cometeu crime de responsabilidade ao ameaçar o uso das Forças Armadas contra os demais poderes.

“O senhor presidente da República deve ser afastado do cargo, visto que houve por parte do presidente um chamado para as Forças Armadas agirem com o escopo de limitar o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal”, escreve João Pedro Bória Caiado na carta manuscrita de sete páginas, segundo o Broadcast Político.

“Entendo eu que o presidente, ora acusado/denunciado, executou ato classificado nos anais da hermenêutica judiciária como golpe de Estado, em sua forma tentada, somente não obtendo êxito, pois as Forças Armadas não responderam a tal ‘chamado’”, completa.

Em abril, o homem já havia apresentado outro requerimento por conta da conduta do presidente em relação à pandemia do coronavírus. Caiado também apresentou dois requerimentos de impeachment contra a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT). Um deles falava sobre a violação de direitos individuais em decorrência das más condições do sistema prisional, o outro tratava sobre denúncias de dinheiro da Petrobras.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo, o homem está custodiado por roubo desde 2014 e cumpre pena de 48 anos, três meses e quatro dias de reclusão.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.