Fórumcast, o podcast da Fórum
26 de maio de 2018, 17h01

Diferente de Lula, Azeredo tem várias regalias na prisão

Cela do tucano tem quase o dobro do tamanho do local onde Lula está preso. Azeredo pode receber visitas diariamente e todas as refeições são levadas por seus familiares.

Preso em uma sala especial da Academia de Bombeiros Militar de Minas Gerais, o ex-governador Eduardo Azeredo recebe todas as quatro refeições diárias (café, almoço, lanche e jantar) de seus familiares.

O local onde ele cumpre a pena de 20 anos e um mês de cadeia, por crimes relacionados ao mensalão tucano, fica a cerca de um quilômetro da residência de Azeredo, no bairro Serra, área nobre de Belo Horizonte. Já o ex-presidente Lula tem recebido os mesmos alimentos dos presos que estão na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba.

“Lula não aceita nenhum alimento que os filhos lhe que trazem, porque quer se alimentar como os demais presos, sem nenhum privilégio”, disse o teólogo Leonardo Boff, que conseguiu visitar o ex-presidente, depois de ter sido barrado.

A sala é bem maior do que a que se encontra o ex-presidente Lula, de 15 metros quadrados. A de Azeredo tem 27 metros quadrados, uma cama, banheiro com chuveiro elétrico e não tem grades.

Outra diferença entre Lula e Azeredo é em relação às visitas. O tucano pode receber visitas, desde que previamente cadastradas, aos sábados e domingos, das 8h às 17h.

Já Lula só pode receber visitas semanais de duas pessoas fora do seu círculo familiar de primeiro grau. As visitas são às quintas-feiras, e o tempo é dividido com os seus parentes.

Os dois podem ter acesso a banho de sol, mas Lula não tem conseguido fazê-lo porque não é garantida segurança. “Ultimamente, enquanto o faz, aparecem drones sobre o espaço. Por precaução Lula logo vai embora, pois não se sabe qual seja o propósito destes drones, fotografá-lo ou, quem sabe, algo mais sinistro”, relatou Boff.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum