Fórumcast #20
03 de dezembro de 2017, 14h04

Dilma critica PEC 181, que criminaliza aborto até em casos de estupro: “Medida absurda e criminosa”

Ex-presidenta alertou que a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil: “Uma tragédia com graves consequências para as mulheres, as famílias e a sociedade”.

Ex-presidenta alertou que a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil: “Uma tragédia com graves consequências para as mulheres, as famílias e a sociedade”.

Da Redação*

Dilma Rousseff usou sua conta no Twitter para criticar o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 181, que pretende criminalizar todos os casos de aborto no Brasil, inclusive quando a gravidez é consequência de estupro. A ex-presidenta considerou que a medida é “absurda e criminosa”.

“Nós sabemos que a luta contra a violência é uma luta sem tréguas. A PEC-181 é absurda e criminosa porque a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil”, afirmou Dilma. Para ela, a medida representa “uma tragédia com graves consequências para as mulheres, as famílias e a sociedade”.

Inicialmente apresentada para ampliar de 120 para 240 dias a licença maternidade para mães de bebês prematuros, a PEC 181 teve seu texto alterado. A mudança, feita pelo relator da Comissão Especial formada para discutir o tema, Jorge Tadeu Mudalem (DEM-SP), prevê que o princípio da inviolabilidade da vida passe a ser respeitado não a partir do nascimento, como é hoje, mas a partir da concepção.

Veja também:  OAB lança nota de repúdio a Witzel e diz que sua política de segurança é de "violência e morte"

Tal alteração impossibilitaria a interrupção da gravidez mesmo nos casos previstos livres de punição, como risco de vida da gestante, quando a gravidez é resultado de um estupro ou quando é comprovada a anencefalia do feto.

*Com informações do Estadão e O Dia

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Fotos Públicas

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum