Dino brinca com críticas de Ciro à camiseta Lula livre: “Pensei em mandar uma para ele de presente”

O governador do Maranhão disse que usou a camiseta como homenagem pessoal a Lula e também como um gesto político, pois já sabia "o que viria no dia seguinte". Assista ao vídeo

Alvo de críticas de Ciro Gomes (PDT-CE) por usar uma camiseta “Lula Livre” ao votar nas eleições municipais do último domingo (29), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), usou o bom humor para responder ao pedetista em entrevista a Cristina Coghi e Plínio Teodoro, no Fórum Café desta quinta-feira (3).

Leia também: Flávio Dino quer frente contra Bolsonaro com experiência de Lula e Ciro e juventude de Boulos e Manuela

“O Ciro foi criticar minha camiseta e eu pensei até em mandar uma pra ele de presente. É uma empresa aqui do Maranhão que faz, são meus amigos e eles mandaram para mim de presente”, disse Dino.

O governador do Maranhão disse que usou a camiseta como homenagem pessoal a Lula e também como um gesto político, pois já sabia “o que viria no dia seguinte”.

“Eu achei bonito votar (com a camiseta) exatamente como uma homenagem pessoal, porque eu coloco também isso na mesa, e também como gesto político, porque eu já sabia o que viria no dia seguinte, que seria essa saraivada equivocada de que o ‘Lula acabou, morreu, o PT morreu’. Como eu já sabia que ia acontecer, eu já vesti a camiseta logo de manhã cedo no domingo, exatamente pra gente limpar a área e colocar no debate o que é o principal”, disse.

Para Dino, é impossível vencer Bolsonaro e a direita em 2022 sem o PT, mas também sem o PDT e o PSB.

“Quem vai ganhar a eleição sem o PT, minha gente? No campo da esquerda. Eventualmente sem o PDT, sem o PSB. Ninguém. Eu ganhei aqui juntando o campo. Então a gente tem que juntar o campo para vencer o Bolsonaro e a direita tradicional”.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR