#Fórumcast, o podcast da Fórum
12 de setembro de 2019, 22h46

Do hospital, Bolsonaro ataca o que chama de “grande imprensa”

Presidente, que permanecerá afastado de suas funções por pelo menos mais quatro dias, taxou a imprensa de "inimiga" e criticou brigas dentro do governo

Foto: Reprodução/Twitter

Aparentemente preocupado com os conflitos internos em seu partido e também no governo, o presidente Jair Bolsonaro voltou, nesta quinta-feira (12), a atacar o que ele chama de “grande imprensa”.

Do hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde Bolsonaro ficará pelo menos até terça-feira (17) por determinação médica, ele tuitou: “- Enquanto lutamos entre nós o inimigo se fortalece. – Não temos como agradar a todos, vasculham minha vida e de minha família desde 1988, quando me elegi vereador. – Nossa inimiga: parte da GRANDE IMPRENSA. Ela não nos deixará em paz. Se acreditarmos nela será o fim de todos”.

Esta semana o governo se viu em mais uma crise interna após a repercussão negativa de uma possível volta da CPMF, que foi aventada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Emparedado com as críticas, o presidente fingiu que seu ministro não falou sobre o assunto e usou o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, como “boi de piranha”. Ele acabou sendo demitido nesta quarta-feira (11).

Além disso, a imprensa começou a especular, nesta quinta-feira (12), que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, estaria de malas prontas para deixar o governo. O ex-juiz vem passando, há meses, por um processo de fritura por parte de Bolsonaro. Alçado como “super ministro”, Moro teve a imagem desgastada com as revelações da Vaza Jato e viu seu poder limitado pelo presidente que, inclusive, interferiu no comando da Polícia Federal, que está na alçada do ex-magistrado de Curitiba. Especula-se que Bolsonaro já até mesmo decidiu quem será o substituto de Moro: o general Guilherme Teophilo (PSDB).

Fora de combate 

O corpo médico que cuida do presidente Jair Bolsonaro determinou, nesta quinta-feira (12), que ele permaneça pelo menos mais 4 dias internado e afastado de suas funções, contando a partir de sexta-feira (13). Ou seja, Bolsonaro só deve ter alta, se não houver nenhum imprevisto, na próxima terça-feira (17).

Abatido, o capitão da reserva voltou nesta quinta-feira (12), mais cedo, a usar uma sonda nasogástrica para se alimentar.

Bolsonaro está internado no centro médico desde domingo (8). Ele passou por uma cirurgia para correção de uma hérnia.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum