Fórumcast, o podcast da Fórum
13 de agosto de 2019, 06h28

Dodge envia ações contra Bolsonaro para primeira instância ao articular recondução à PGR

Em meio a afagos públicos a Bolsonaro e à primeira-dama, Michelle, Dodge retardou tramitação de casos como o da Wal do Açaí e de Nathália, filha de Fabrício Queiroz, que atuaram como funcionárias fantasmas do presidente

Rachel Dodge em lançamento do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Em meio a afagos em eventos com a presença da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge agiu para segurar ações contra Jair Bolsonaro sob sua responsabilidade enquanto articulava junto ao chefe do executivo sua recondução para cumprir mais dois anos de mandato no posto mais alto do Ministério Público Federal.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Segundo reportagem de Camila Mattoso e Ranier Bragon, na edição desta terça-feira (13) da Folha de S.Paulo, em um dos atos, Dodge mandou para a primeira instância o caso envolvendo Walderice Conceição, a Wal do Açaí, que atuou como funcionária fantasma na época em que Bolsonaro era deputado federal.

A investigação sobre atuação da filha de Fabrício Queiroz, Nathália Queiroz, como funcionária fantasma de Bolsonaro em Brasília – ao mesmo tempo em que atuava como personal trainer no Rio de Janeiro – também foi segurada por Dodge e teria voltado à primeira instância.

A assessoria da PGR, no entanto, disse que a análise das ações respeitou a fila, sem dar privilégio por se tratar de uma autoridade, e que Dodge só soube dos procedimentos dois dias antes de mandá-los de volta para a primeira instância.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum