Duda Salabert, vereadora do PDT mais votada de BH, presta solidariedade a Dilma após ataque de Ciro

Correligionária do pré-candidato à presidência disse que "defender a democracia passa também pelo combate contra a linguagem violenta que distancia mulheres da política"

Duda Salabert (PDT), vereadora mais votada da história de Belo Horizonte (BH), foi uma das poucas correligionárias de Ciro Gomes que prestou solidariedade à ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) após os ataques do pré-candidato à presidência contra a petista, nesta quarta-feira (13).

Em uma primeira postagem nas redes sociais sobre o assunto, Duda afirmou que acha “tóxica a briga atual entre PDT e PT”. “Sem palavras ao ver a briga pública entre Ciro e Dilma. Não contem comigo para isso. Contem comigo p/ ajudar na vitória eleitoral e política do campo progressista”, declarou.

Depois, demonstrou apoio a Dilma. “Decidi entrar na política partidária após golpe misógino de 2016. Ali escancararam-se as violências simbólicas de uma política masculinista. Minha solidariedade à @dilmabr. Defender a democracia passa tb pelo combate contra a linguagem violenta que distancia mulheres da política”, escreveu.

Entenda

Depois de pregar trégua com o PT e rompe-la por contra própria, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) voltou a disparar seu arsenal contra ex-aliados na tarde desta quarta-feira (13). Ciro gerou revolta nas redes sociais ao responder de forma dura à crítica da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) a um comentário feito pelo pedetista.

Ciro chamou a atenção após sugerir em entrevista ao Estadão Podcast que Lula teria conspirado em favor do impeachment de Dilma.

“Eu atuei contra o impeachment e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem liderou o MDB nessa investida? O Eunício Oliveira. Com quem Lula está hoje? Eu estou seguro de que o Lula conspirou pelo impeachment da Dilma, estou seguro”, afirmou Ciro.

“Estou seguro que eles estavam colaborando pelo impeachment da Dilma, porque nas eleições de 2018 o Lula estava com o Renan Calheiros e queria que eu me envolvesse nisso, eu que fui para as ruas, sendo que à época era muito impopular defender a Dilma. Agora os amigos do peito são eles”, completou.

A ex-presidenta não gostou dessa tese e reagiu. “Ciro Gomes está tentando de todas as formas reagir à sua baixa aprovação popular. Mais uma vez mente de maneira descarada, mergulhando no fundo do poço. O problema, para ele, é que usa este método há muito tempo e continua há quase uma década com apenas 1 dígito nas pesquisas”, tuitou.

Publicidade

O pré-candidato, então, reagiu de forma desproporcional e baixou o nível no ataque. O ex-ministro atribuiu uma série de adjetivos negativos à ex-mandatária e disse que se arrepende de ter sido contra o golpe.

Toda essa guinada operada por Ciro nesta quarta foi rechaçada nas redes e o nome do ex-ministro chegou aos Assuntos do Momento do Twitter. A reação à crítica política feita por Dilma foi vista como machista e misógina.

Publicidade

Notícias relacionadas

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR