O que o brasileiro pensa?
10 de julho de 2020, 09h25

Eduardo Bolsonaro disse em 2017 que ladrão amigo do rei vai para prisão domiciliar

Fabrício Queiroz e sua esposa, acabam de receber o benefício do juiz João Otávio Noronha, do STJ, que pleiteia junto a Bolsonaro vaga no STF

Eduardo Bolsonaro (Foto: Lula Marques)

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) criticou duramente em sua conta do Twitter, em dezembro de 2017, a prisão domiciliar. Na ocasião, o filho do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) afirmou que “ladrão de galinha ir para a cadeia e ladrão amigo do rei para prisão domiciliar (leia-se mansão) é sinônimo de impunidade”.

“Ladrão de galinha ir para a cadeia e ladrão amigo do rei para prisão domiciliar (leia-se mansão) é sinônimo de impunidade. Infelizmente juízes se utilizam de brechas nas leis para favorecer alguns. É preciso revogar o instituto da prisão domiciliar.”

A mensagem foi postada, conforme lembrança da coluna de Mônica Bergamo, um dia depois que o empreiteiro Marcelo Odebrecht, da Odebrecht, saiu da cela em que estava, na Superintendência da Polícia Federal, onde ficou detido em regime fechado por dois anos e meio, e passou a cumprir prisão domiciliar em sua casa, em um condomínio fechado de um bairro nobre de São Paulo.

Queiroz amigo do rei

Fabrício Queiroz, acusado de ser o operador do esquema de “rachadinhas” que funcionava dentro do gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) se prepara para deixar o presídio de Bangu 8, onde está preso desde o dia 18 de junho, na manhã desta sexta-feira (10).

A concessão de um habeas corpus a Queiroz e à mulher, Márcia Oliveira Aguiar, se deu por decisão polêmica do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha, que nos bastidores faz campanha para ser alçado por Jair Bolsonaro a uma das cadeiras que ficarão vagas no Supremo Tribunal Federal (STF) durante o mandato presidencial do capitão, amigo há décadas do ex-PM, que assessorou Flávio e tem estreitas ligações com a milícia de Rio das Pedras, no Rio de Janeiro.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum