Eduardo Bolsonaro e Carla Zambelli são investigados por ataques à Justiça Eleitoral

Além deles, outros dois deputados bolsonaristas são alvos de inquérito por campanha de fake news contra segurança das eleições, segundo Estadão

Reportagem do Estadão deste domingo (22) revela que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, e a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) estão entre os alvos de investigação que apura ataques à Justiça Eleitoral.

O inquérito estava com o Ministério Público Federal (MPF), mas foi enviada à Procuradoria Geral da República (PGR) porque entre os investigados há deputados, que, portanto, têm foro privilegiado. Além de Eduardo e Carla, o jornal diz que também fazem parte da apuração publicações dos bolsonaristas Bia Kicis (PSL-DF) e Filipe Barros (PSL-PR). Se a investigação resultar em processo, a lei exige que a denúncia parta da PGR e que a ação seja apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A ação foi iniciada por representação feita pela SaferNet Brasil. A entidade tem colaboração formal com o MPF para monitorar a desinformação nas eleições. Ao analisar os documentos enviados pela SaferNet, o vice-procurador-geral eleitoral, Renato Brill de Góes, encontrou publicações dos quatro deputados. Por isso, ele enviou o inquérito nesta sexta-feira (20) ao procurador-geral da República, Augusto Aras, segundo o Estadão.

No domingo (15), dia das eleições, houve vazamento de dados de servidores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além disso, o site do tribunal sofreu ataque que sobrecarregou e dificultou a consulta aos serviços ali disponíveis.

Depois de encerrada a votação, o supercomputador da corte teve problemas ao totalizar os resultados enviados pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). Contudo, nenhum desses eventos, segundo o TSE, influiu no resultado das eleições. A Polícia Federal (PF) apura se houve ataque hacker aos sistemas do tribunal e quem os teria atacado.

No entanto, calcado nesses eventos, foi desencadeada uma campanha nas redes bolsonaristas, de acordo com o monitoramento da SaferNet. Os ataques colocavam em dúvida a lisura e a segurança das urnas eletrônicas e das apurações.

Postagens sobre o tema

Eduardo fez várias publicações sobre o assunto das eleições nas redes sociais na última semana. Na quarta-feira, republicou uma postagem do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, que é alvo de investigação por disseminar fake news, em que levantava dúvida sobre a apuração das eleições.

Nos dias seguintes, suas publicações sobre o tema seguiam colocando em xeque a segurança do pleito.

Carla Zambelli também foi ao assunto em publicações, a maioria defendendo que o voto seja impresso para que o eleitor tenha “garantia” de que ele foi computado corretamente.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.