quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Eduardo Bolsonaro pede boicote à Globo por abraço de Drauzio Varella em trans presa

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi às redes sociais na noite deste domingo (8) para pedir boicote à TV Globo após o programa Fantástico exibir uma reportagem sobre mulheres trans encarceradas em presídios masculinos. O filho do presidente repercutiu a informação de que uma das entrevistadas, Suzy, foi presa por estuprar e matar uma criança de nove anos.

A solidão de Suzy – que não recebe visitas há 8 anos – gerou comoção nacional e fez com que mais de 200 cartas fossem enviadas ao presídio em Guarulhos na qual ela se encontra. Durante a reportagem, Drauzio Varella a abraça após saber de seu abandono dentro do presídio. A atitude, contudo, gerou revolta entre bolsonaristas.

“Nossa! Passada de pano 1.000°! Os caras do PT, PSOL e cia. têm que aprender com a GRobo!”, escreveu Eduardo no Twitter, após o Fantástico divulgar uma nota oficial de Drauzio Varella, no programa deste domingo, sobre as informações do crime cometido por Suzy e que vieram à tona. Na nota, Drauzio diz que não perguntou às detentas sobre os delitos cometidos pois não era o foco da reportagem. “Sou médico, não juiz”, completou.

Em outro tuíte, o deputado compartilha um vídeo de seu novo guru, Sikêra Jr., sobre o caso. Nele, o apresentador diz que vai falar sobre “o que você nunca viu” sobre o caso de Suzy no programa Alerta Nacional.

Em outro vídeo, desta vez publicado por Eduardo, ele pede o boicote à emissora e escreve: “entenda o caso do travesti Susy e como funciona a estratégia da Globo”. No vídeo, que mostra a reportagem do Fantástico com Varella, há legendas que chamam a transexualidade de “teoria” que foi “vitimada” propositalmente durante o programa.

*Matéria editada às 22h10 em 10/03/2019 para correção de informação

Luisa Fragão
Luisa Fragão
Jornalista.