Boulos rebate general Mourão sobre assassinato de João Alberto: “É racismo puro”

"Alguém consegue imaginar aquela cena com uma pessoa branca engravatada naquele mercado?", indagou Boulos

O candidato do PSOL à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, rebateu neste sábado (21) durante campanha em Heliópolis, maior favela da cidade, a declaração do vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB), que afirmou que “não existe racismo no Brasil” ao comentar o assassinato de João Alberto Silveira Freitas por seguranças brancos de uma loja do Carrefour em Porto Alegre na última quinta-feira (19).

“Todo o país ficou revoltado, indignado. Não tem como ver aquelas cenas em Porto Alegre, o assassinato covarde, cruel, do João Alberto. Eu fico me perguntando… Eu ouvi o vice-presidente da República dizendo que não tem racismo no Brasil. Alguém consegue imaginar aquela cena com uma pessoa branca engravatada naquele mercado? Alguém consegue imaginar isso? Isso é racismo. Racismo puro”, disse Boulos.

O candidato do PSOL ainda afirmou que, caso seja eleito, vai ajudar no combate ao racismo como “uma liderança no país”.

“No nosso governo, nós vamos combater o racismo. Nas forças de segurança, nós vamos recriar a secretaria de igualdade racial, que o Covas e o Doria acabaram com ela, e vamos ter uma política de combate ao racismo valorizando a memória, valorizando a história, valorizando ações afirmativas. É uma vergonha que em pleno século XXI se reproduzam práticas de racismo estrutural no Brasil. Eu como prefeito de São Paulo vou ajudar, ser uma liderança no país que combata o racismo”, disse.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.