Eduardo Paes rejeita suposto apoio de Bolsonaro no segundo turno em cenário sem Crivella

Após os rumores de que Bolsonaro já estaria ensaiando um apoio a Eduardo Paes caso Crivella não vá para o segundo turno no Rio, ex-prefeito divulgou um vídeo em que afirma que não precisa de "padrinho político"

Líder isolado nas pesquisas de intenção de voto para a prefeitura do Rio de Janeiro, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) divulgou um vídeo em suas redes socais, nesta quinta-feira (12), em que afirma que não terá “padrinho político” caso se confirme um segundo turno na cidade.

“Domingo a gente vai ter eleição, o povo vai decidir quem ganha, quem perde, quem pode ir pro segundo turno, eu não sei o que vai acontecer, mas se eu estiver no segundo turno eu vou fazer igualzinho o que fiz no primeiro turno: não preciso de padrinho político”, disse o candidato do DEM.

A declaração do ex-prefeito vem na esteira dos rumores, inicialmente apurados pela revista Veja, de que Jair Bolsonaro já havia avisado Marcelo Crivella (Republicanos), seu aliado, que se ele não fosse para o segundo, apoiaria Paes.

Isso porque Crivella, que figura em segundo lugar nas pesquisas, já corre o risco de perder a vaga no segundo turno para a ex-delegada Martha Rocha (PDT) ou para Benedita da Silva (PT).

Apesar de sinalizar que não aceitará apoio de Bolsonaro, Eduardo Paes comemorou, no final de outubro, um aceno do presidente. “Quem vota no Bolsonaro aqui levanta a mão. O Bolsonaro acabou de declarar em uma live que o candidato dele é o Crivella. Calma! Deixa eu terminar! Vou ganhar voto de Bolsonaro todo. Ele disse assim: ‘Mas não vou falar do outro não que a gente sabe que é um superadministrador’. Então, está liberado os bolsonarista votar em em mim”, disse em um ato de campanha.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_