Russomanno leva para debate fake news contra Boulos que Justiça mandou tirar do ar

"Russomanno, você quer trazer o gabinete do ódio pra São Paulo. Estamos entrando com um pedido de apreensão do seu celular e do bolsonarista preso pelo STF para saber quem paga essas fake news que você está divulgando", disparou Boulos

O candidato de Jair Bolsonaro à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno (Republicanos), trouxe para o debate da TV Cultura, na noite desta quinta-feira (12), uma denúncia contra Guilherme Boulos (PSOL) que a Justiça Eleitoral já classificou como fake news e, inclusive, mandou retirar do ar.

A “denúncia”, feita pelo blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, que chegou a ser preso pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito do inquérito das fake news, seria de que Boulos justificou gasto de R$500 mil em sua campanha com empresas fantasmas.

“Te perguntei sobre as empresas fantasmas usadas em sua campanha e você não respondeu”, disse Russomanno.

De acordo com o juiz Emílio Migliano Neto, da 2ª Zona Eleitoral de São Paulo, as acusações feitas por Eustáquio e reproduzidas por Russomanno são “sabidamente inverídicas”. O magistrado, ao mandar retirar a “denúncia” do ar, afirmou ainda que o vídeo é “integralmente dedicado à propagação de mentiras” e destaca que as acusações não foram noticiadas “por nenhum veículo de mídia profissional”.

O próprio Boulos, que já havia desmentido a acusação postando cartazes dos filmes que as empresas citadas por Russomanno já produziu, subiu o tom. “Russomanno, me admira sua cara de pau nesse debate. Porque ontem você fez uma acusação leviana de um jornalista preso pelo STF no inquérito das fake news. Se aliou a ele pra mentir ao meu respeito. A Justiça mandou tirar do ar por ser uma mentira e você vem aqui trazer isso?”, disse o candidato do PSOL.

“Russomanno, você quer trazer o gabinete do ódio pra São Paulo. Estamos entrando com um pedido de apreensão do seu celular e do bolsonarista preso pelo STF para saber quem paga essas fake news que você está divulgando”, completou Boulos.

Na réplica, Russomanno disse que foi gravar nas empresas que ele acusa de serem fantasmas e que quem está representando Boulos criminalmente é ele, ao que o candidato do PSOL respondeu: “Russomanno, você passou a campanha inteira me atacando, atacando o movimento sem-teto. Ando com sem teto, só não ando com sem vergonha como você. As empresas existem e a Justiça já comprovou isso”.

Na sequência, Boulos foi sorteado para perguntar ao candidato do PT, Jilmar Tatto, que se solidarizou com o candidato do PSOL. “Boulos você tem minha solidariedade. Russomanno queria na ultima eleição cobrar passagem de ônibus por quilometro rodado. Gente como Russomanno não serve para ser prefeito”, disparou.

Publicidade

Publicidade

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_