Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
18 de Maio de 2018, 09h52

Em artigo na Folha, jurista citado no STF como referência questiona condenação em 2º grau

Lenio Luiz Streck afirma que apenas se o Supremo tiver seis votos pela automaticidade da pena é que a prisão do ex-presidente Lula poderá ser mantida

Foto: Arquivo Pessoal

Em artigo publicado na Folha de S.Paulo, intitulado “Prendam-nos todos!”, o advogado, ex-procurador de Justiça e membro da Academia Brasileira de Direito Constitucional, Lenio Luiz Streck, faz uma profunda análise sobre o impasse em relação à prisão depois de condenação em segundo grau. O jurista, consagrado e frequentemente citado como referência por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), cita que hoje a presunção da inocêdncia, “claramente constante na bíblia da democracia, a Constituição, parece ter transformado seus adeptos em hereges jurídicos”.

Streck destaca que a tese defendida pela mídia e por tribunais, como o TRF-4, requer um questionamento: Se o réu tiver bons antecedentes e respondeu ao processo em liberdade? A resposta “punitivista” é: “Não importa. Deve ser preso. Temos de acabar com a impunidade. A Constituição é leniente”. O jurista ressalta que nem o STF concorda com a automaticidade, pois apenas os ministros Luiz Fux e Luís Roberto Barroso votaram por essa solução. A maioria dos magistrados fala em “possibilidade” de prisão. “Isso quer dizer que a prisão em segundo grau não decorre simplesmente da decisão condenatória”.

“Raciocinemos: se a prisão após decisão de segundo grau é possível, então, por lógica, há casos em que ela não ocorrerá, porque não necessária. Logo, para ela acontecer, devem estar presentes os requisitos que permitem a prisão antes do julgamento. Se o réu não os tiver e ingressar com recurso especial e/ou extraordinário, então poderá aguardar em liberdade. Simples assim”, relata o jurista em seu artigo.

De acordo com o advogado, apenas se o STF tiver seis votos pela automaticidade é que a prisão do ex-presidente Lula poderá ser mantida. “Só que disso surge um problema. Se o STF assim decidir, qualquer decisão de segundo grau ou decisões em instância única (prefeitos, deputados) acarretarão – sempre – prisão direta, sem choro nem vela. Esses são os danos colaterais. Todos serão presos”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum