Fórumcast, o podcast da Fórum
23 de março de 2019, 08h14

Em contraponto à reforma da Previdência, deputado propõe mais rigor na cobrança a grandes devedores

Paulo Teixeira prepara projeto que oferecerá ao governo instrumentos para cobrar a dívida ativa com eficiência, mirando o equilíbrio fiscal

Com intuito de oferecer novos mecanismos para o governo corrigir o desequilíbrio nas contas sem retirar direitos dos mais pobres, como pretende Jair Bolsonaro com a reforma da Previdência, o deputado federal Paulo Teixeira (PT/SP) prepara Projeto de Lei com novas regras para a cobrança da dívida ativa. Na prática, o parlamentar pretende instrumentalizar o Estado para cobrar dos grandes devedores.

Há a expectativa de que o texto possa ser apresentado na próxima semana.

Entre os temas que a proposta deve abordar estão as possibilidades de dação em pagamento, compensação de créditos, rapidez na cobrança e constrangimento do devedor.

“Assim, se tem um Estado que tem garras para cobrar seus devedores. Hoje as pessoas fazem negócios, não pagam seus impostos e fica por isso mesmo”, critica Teixeira.

Para o parlamentar, mudanças na Lei de Execuções Fiscais deveriam estar entre as prioridades da União.

“Hoje as pessoas preferem dever para a Previdência do que pagar. E o que o governo Bolsonaro tenta é cobrar dos mais pobres”, afirma.

A retirada de desonerações e a tributação de lucros e dividendos são outros instrumentos que visam o equilíbrio fiscal e deveriam ser atacados pela equipe econômica.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum