Em depoimento, Moro diz que não interveio nas investigações da Spoofing

O ex-ministro ainda afirmou que as mensagens obtidas "foram utilizadas com sensacionalismo"

O ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro disse durante depoimento prestado nesta segunda-feira (17), no âmbito da Operação Spoofing, que não interveio nas investigações da Polícia Federal sobre a interceptação de mensagens trocadas entre ele e procuradores do Ministério Público Federal (MPF).

“Nunca foi feita gestão alguma da minha parte para influenciar neste caso ou na Polícia Federal. O delegado teve total autonomia para conduzir o caso da forma que ele entendia apropriada”, disse o ex-ministro em trecho de depoimento obtido pela jornalista Mariana Muniz, de O Globo.

Moro disse ainda que “os ataques e as supostas mensagens roubadas foram utilizadas com sensacionalismo para frear o combate à corrupção e anular condenações de corruptores e corruptos”.

Nos diálogos, fica evidente a colaboração ilegal realizada entre o ex-juiz e os procuradores do MPF responsáveis pela Operação Lava Jato. Moro foi declarado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) como suspeito nos processos do ex-presidente Lula por quebra de imparcialidade. O material da Spoofing não foi utilizado pela defesa.

Com informações de O Globo e CNN Brasil

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina