Em discurso, Bolsonaro plagia artigo de Roberto Marinho sobre apoio ao golpe de 64

Presidente citou "radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada" ao justificar o golpe, mesmas palavras utilizadas pelo fundador do Grupo Globo em editorial

Em seu curto pronunciamento para marcar o Dia da Independência do Brasil, nesta segunda-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro plagiou um trecho de um artigo de Roberto Marinho que exalta a ditadura militar para provocar a Rede Globo. Texto do empresário foi publicado originalmente no jornal O Globo, em 1984.

No discurso, o ex-capitão disse que o golpe de 1964 foi uma resposta da população contra a “radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada”. As mesmas palavras foram utilizadas por Marinho ao justificar o apoio da Globo aos militares. Apenas em 2013 o jornal afirmou que atitude havia sido um “erro”.

“Nos anos 60, quando a sombra do comunismo nos ameaçou, milhões de brasileiros, identificados com os anseios nacionais, de preservação das instituições democráticas, foram às ruas contra um pais tomado pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada”, disparou Bolsonaro no discurso.

Em sua fala, o presidente ignorou completamente a pandemia do coronavírus, que já matou mais de 126 mil pessoas no país, e relembrou da falaciosa cena que marcaria a independência do Brasil “às margens do Ipiranga”.

“Naquele histórico 7 de setembro de 1822, às margens do Ipiranga, o Brasil dizia ao mundo que jamais aceitaria ser submisso a qualquer outra nação”, disse Bolsonaro, apesar de já ter prestado continência à bandeira dos Estados Unidos.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR