O que o brasileiro pensa?
17 de julho de 2019, 11h54

Em entrevista, Mourão afirma que “sempre houve homossexualidade no Exército” e defende ditadura militar

"Homossexualidade sempre houve. Agora, dentro da disciplina e da hierarquia. As coisas sendo mantidas dentro da disciplina e da hierarquia, as coisas aconteceram e as pessoas seguiram", disse Mourão em entrevista no Conversa com Bial

Hamilton Mourão (Reprodução/TV Globo)

Em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, que foi ao ar na madrugada desta terça-feira (16), o vice-presidente, general Hamilton Mourão, comentou sobre sua participação no governo e também sobre as Forças Armadas. Ele afirmou que a homossexualidade sempre esteve presente no exército “dentro da disciplina e da hierarquia” e, apesar da pose de democrático, voltou a defender a ditadura militar e o torturador Brilhante Ustra.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

“É uma questão de costumes, é uma questão delicada. Transgênero só existe um caso ou dois, se houve. Homossexualidade sempre houve. Agora, dentro da disciplina e da hierarquia. As coisas sendo mantidas dentro da disciplina e da hierarquia, as coisas aconteceram e as pessoas seguiram”, disse o general da reserva ao ser questionado por Pedro Bial sobre transgeneridade no Exército.

Ao comentar sobre o governo de Bolsonaro, Mourão destacou que o vice tem um papel importante em “assegurar a estabilidade”. “A gente tem que ter a noção de até onde nós podemos levar as nossas ações e a nossa tarefa de buscar auxiliar o presidente sem atropelar os fatos”, comentou sobre o fato de Bolsonaro ter comemorado o seu silêncio.

Mourão também falou sobre a ditadura militar, que considera apenas um “período de presidentes militares”, e elogiou o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. “Eu desconheço que o coronel Ustra tenha feito isso [tortura contra pesos políticos] pessoalmente. Ele foi meu comandante durante dois anos e foi um exemplo de soldado pra mim. Essa é a forma como eu o vejo”, disse.

O vice-presidente colocou em dúvida parte das denúncias de tortura feita por presos políticos e condenou a prática.”Eu não justifico a tortura em circunstância nenhuma. Nenhuma. Eu acho que na tortura você se aproveita da incapacidade do prisioneiro”, afirmou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum