Fórumcast, o podcast da Fórum
16 de julho de 2019, 08h05

Em vídeo, Eduardo Bolsonaro mostra onde fritou hamburguer nos EUA: “Até quando comeremos m* e arrotaremos caviar?”

Eduardo Bolsonaro se faz de vítima e considera que sua possível indicação à Embaixada do Brasil nos EUA é criticada por ser um "risco a hegemonia internacional", não pelas suas credenciais

Reprodução/Twitter

Em busca da Embaixada do Brasil nos EUA prometida pelo pai, o deputado federal Eduardo Bolsonaro publicou na madrugada desta terça-feira (16) um vídeo nas redes sociais dizendo ser vítima da imprensa e mostrando onde fritou hambúrguer nos Estados Unidos. Eduardo considera que sua possível indicação é criticada por ser um “risco a hegemonia internacional”, não pelas suas credenciais.

“Estrangeiro, 20 anos e num trabalho humilde era respeitado nos EUA. Pagava minhas contas lá e aprimorei meu inglês sem dar gastos aos meus pais. No Brasil a imprensa me desdenha e deturpa minha fala. De fato o Brasil não é para amadores. Até quando comeremos merda e arrotaremos caviar?”, disse em tom de vítima. No vídeo, o filho 03 do presidente mostra a rede de fast food Popeye’s, onde afirma ter trabalhado.

Em outra postagem, ele destacou que pretende assumir o posto diplomático para atuar como porta-voz do Brasil nos EUA com o objetivo de limpar a imagem de seu pai, que, segundo ele, é visto internacionalmente como “um presidente racista, homofóbico e fascista, por exemplo”. Ele acredita que, por isso, é criticado: “sabem que represento risco a essa hegemonia internacional deles, enquanto que no Congresso fico engessado, quase sendo mais 1 dentre os 513 deputados”, disse em comentário do Instagram.

Veja também:  Bernie Sanders diz que Bolsonaro queima a Amazônia por lucro pessoal e coloca planeta em risco

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum