Magoado, Ernesto Araújo diz que não recebeu nenhum telefonema de Bolsonaro: “ficha caindo”

O ex-ministro está de malas prontas para os EUA, onde vai acompanhar a esposa que é diplomata

O ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo anda triste. De acordo com a coluna de Guilherme Amado, no Metrópoles, um dos mais leais representantes do núcleo duro olavista do governo tem desabafado com amigos que se sente abandonado pelo governo.

Ele diz ainda que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nunca telefonou para ele desde que o demitiu.

Araújo está de malas prontas para os Estados Unidos, onde vai acompanhar sua esposa, a diplomata Maria Eduarda Seixas Corrêa. Ele disse também que, aos poucos, sente a “ficha caindo” sobre Bolsonaro.

Licença-prêmio por assiduidade

Assim que deixou o ministério, em março deste ano, Ernesto Araújo ganhou uma “licença-prêmio por assiduidade” do Ministério de Relações Exteriores e só retornaria ao trabalho em 90 dias. O salário dele foi mantido durante esse tempo. A portaria foi publicada no Diário Oficial no dia 24 de maio e vale a partir de 2 de junho.

Ao deixar o cargo de ministro e ser substituído por Carlos França, Araújo foi contemplado com um cargo administrativo dentro do Ministério de Relações Exteriores. Contudo, segundo reportagem de Jamil Chade, no UOL, a presença do ex-chanceler no Itamaraty era alvo de desconforto. Ele deveria voltar a trabalhar em agosto, mas foi para os EUA.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR