sábado, 31 out 2020
Publicidade

“Errei e apaguei. Não cabe ironia com uma dor que eu não senti. Aprende-se”, diz Haddad sobre tuite com “Casa Grande”

Haddad recebeu muitas críticas por tuitar que "tem Casa Grande que vale a pena”, ao comentar a declaração do ex-jogador do Corinthians sobre a contratação de Robinho pelo Santos

Fernando Haddad foi às redes sociais neste sábado (17) e admitiu que errou ao publicar um tuite com um trocadilho sobre a declaração do comentarista Walter Casagrande sobre o caso de estupro envolvendo o jogador Robinho, que rompeu o contrato que havia firmado com o Santos após repercussão do caso, ocorrido na Itália.

Segundo Haddad, mesmo tendo conotação antirracista, a publicação foi um “erro” por não caber ironia “com uma dor que não senti”.

“Querido Thiago, quando retuitei o vídeo do Casão, pensei em ironizar A casa-grande. Errei e apaguei porque mesmo tendo intenção antirracista, não cabe ironia como uma dor que eu não senti, privilegiado que sou. Aprende-se. Estamos juntos”, tuitou, respondendo a internauta que indagou sobre a publicação.

Haddad recebeu muitas críticas por tuitar que “tem Casa Grande que vale a pena”, ao comentar a declaração do ex-jogador, que em tom forte disse estar assustado com sociedade brasileira, que em parte saiu em defesa de Robinho quando o atacante foi contratado pelo Santos.

Segundo ele, não se trata de um “apedrejamento” do Robinho, mas “um apedrejamento na moral da sociedade brasileira”. “Não se pode inverter os valores. O Robinho está condenado com nove anos de prisão por violência sexual na Itália. Recorreu, mas nesse momento ele é condenado”, finalizou.

“O Brasil solta traficante. O vice-líder [do governo] é preso com dinheiro na cueca. A Carol Solberg, por se manifestar politicamente, a CBV faz censura. E o Santos contrata um jogador condenado por estupro”, disse ainda.

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.