sábado, 31 out 2020
Publicidade

Erros no Enem: Weintraub culpa impressora por “engasgar” na produção da prova

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse em entrevista à rádio Gaúcha, nesta segunda-feira (20), que o erro na correção do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) pode ter afetado cerca de 6 mil alunos, impacto considerado “baixo” para o ministro. Ele disse ainda que a culpada pelo erro foi de uma das impressoras da gráfica Valid Soluções S.A., que teria “engasgado” e provocado o deslocamento da prova com o gabarito.

“Aparentemente não foi uma coisa de má fé, foi um acidente, coisa que acontece. Não depende da minha avaliação. A gente vai ver legalmente o que acontece”, disse.

Weintraub disse ainda que o impacto do problema foi “baixo”. “A gente já tem o número de pessoas e vai ser corrigido hoje à noite. Estamos falando de 0,1% das pessoas, isso dá cerca de cinco ou seis mil candidatos, problemas que vão ser corrigidos”, declarou. “O impacto é baixo e não vai ter nenhum efeito para a maioria das pessoas.”

No entanto, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, disse no final de semana que até 30 mil candidatos podem ter sido afetados.

O governo identificou o problema a partir de relatos dos candidatos nas redes sociais. Inicialmente, o MEC afirmou que o erro estava associado apenas às provas do segundo dia do exame, quando foram aplicadas as questões de matemática e ciências da natureza. No entanto, as provas do primeiro dia, de linguagens, ciências humanas e redação, também foram afetadas.

O Inep encerrou o prazo para recebimento de reclamações dos candidatos às 10h de hoje e deve fazer um pronunciamento esta noite.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.