Esclareça tudo: Wadih Damous cobra publicamente Rui Costa, governador da Bahia

“A imagem do PT não pode sair arranhada desse episódio. Foi queima de arquivo. Quem mandou queimar?”, disse o ex-deputado petista

O advogado e ex-deputado federal Wadih Damous (PT) foi ao Twitter para cobrar uma posição do governador da Bahia, Rui Costa, também do PT, em relação às investigações do assassinato do miliciano Adriano Nóbrega.

“A execução do miliciano, herói de Bolsonaro, Adriano Nóbrega tem de ser cabalmente esclarecida pelo governo da Bahia, a não ser que o governador admita não ter o controle de sua polícia. A imagem do PT não pode sair arranhada desse episódio. Foi queima de arquivo. Quem mandou queimar?”, postou Damous.

Costa afirmou a jornalistas, na última sexta-feira (14), que só soube da operação policial que resultou na morte de Nóbrega na madrugada do último domingo (9), depois que ela já tinha sido deflagrada.

“Eu não cuido de cada bandido”

“Eu sou governador do estado. Eu não cuido de cada bandido, cada criminoso da Bahia. Muito menos do Brasil. Isso está nas mãos do Ministério Público do Rio, da Bahia”, disse o mandatário baiano.

Há inúmeras suspeitas de que a morte Adriano da Nóbrega, integrante do chamado Escritório do Crime, grupo miliciano do Rio, e próximo à família Bolsonaro, tenha sido uma queima de arquivo. Reportagem da Veja com fotos do corpo de Adriano sugerem que ele tenha sido executado quando já estava rendido.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.