Estudantes driblam censura de reitor da Mackenzie e lotam debate sobre Previdência com Boulos

Após o veto do reitor para sediar o evento na universidade, o debate foi realizado no bar Fraternidade 211, que cedeu o espaço. Mais de 500 pessoas estiveram presentes e muitos não conseguiram entrar devido à lotação da casa

Mesmo com a censura imposta pelo reitor, Benedito Guimarães Aguiar Neto, os estudantes da Universidade Presbiteriana Mackenzie lotaram o debate sobre a reforma da Previdência com o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos.

Após o veto do reitor para sediar o evento na universidade, o debate foi realizado no bar Fraternidade 211, que fica localizado próximo a Mackenzie. Mais de 500 pessoas estiveram presentes e muitos não conseguiram entrar devido à lotação da casa.

“Bolsonaro foi convidado pela Reitoria e barrado pelos estudantes. Não deixa de ser um orgulho ser barrado pela mesma Reitoria e acolhido pelos estudantes”, publicou Boulos em sua página no Facebook.

“Fascistinha”

Durante o mês de março, depois de protesto de estudantes do Mackenzie, em que foi chamado de “fascistinha”, Jair Bolsonaro cancelou a ida ao local e transferiu a agenda para o Comando Militar do Sudeste. O fato foi lembrado por Boulos.

Depois disso, em abril, a reitoria do Mackenzie, arbitrariamente, censurou a participação das editoras Boitempo e Contracorrente na Feira de Livros, organizada pelo Centro Acadêmico João Mendes Jr.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR