Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
04 de fevereiro de 2019, 10h24

Ex-membro da Le Cocq, milícia que matou mais de 1,5 mil no ES, ganha cargo no governo Bolsonaro

Carlos Humberto Mannato (PSC/ES) foi nomeado Secretário Especial para a Câmara dos Deputados da Casa Civil no governo Bolsonaro no dia 31 de janeiro. Extinta em 2015 pela Justiça, a Le Cocq abrigou e protegeu, por vários anos, pessoas acusadas de pistolagem, tráfico de drogas e roubos a bancos

Carlos Humberto Mannato se diz um Kamikaze de Bolsonaro (Reprodução/Redes Sociais)

Ex-deputado federal e candidato derrotado ao governo do Espírito Santo, Carlos Humberto Mannato (PSC/ES), que integrou a Escuderie Le Cocq, foi nomeado Secretário Especial para a Câmara dos Deputados da Casa Civil no governo Bolsonaro no dia 31 de janeiro. A informação é do site Jornalistas Livres.

Extinta no final de 2015 pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região, a Scuderie Le Cocq foi uma espécie de embrião das milícias que atuou como um esquadrão da morte no Espírito Santo, matando mais de 1,5 mil pessoas.

A Le Cocq foi apontada, entre os anos 80 e parte de 2000, como o braço armado do crime organizado capixaba. Para a Justiça, a entidade abrigou e protegeu, por vários anos, pessoas acusadas de pistolagem, tráfico de drogas e roubos a bancos.

Ficha de filiação de Manato a Scuderie Lecocq (Reprodução)

Quando entrou para a Scuderie Le Cocq em 1992, Manato era médico do Hospital Evangélico, e contou com três padrinhos para entrar no esquadrão: dois delegados de Polícia e um investigador. Todos já estão aposentados. Manato entrou na vida política em 1994, quando se filiou ao PSDB.

Durante a campanha ao governo do Espírito Santo, Manato – com um “n”, como é conhecido – disse que era um “kamikaze de Bolsonaro”, referindo-se aos pilotos do exército japonês, que eram enviados a missões suicidas onde o caça Zero, da Mitsubishi, era utilizado deliberadamente como um míssil. “Defendo que a população possa ter uma arma dentro de casa. Temos que armar a população dentro de casa”, disse, em entrevista ao jornal Espírito Santo Hoje.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum