terça-feira, 22 set 2020
Publicidade

Exilado em flat a 500 metros do Planalto, Bebianno impõe “saída honrosa” para deixar governo

Sem ser recebido por Jair Bolsonaro (PSL) e envolto em uma crise com o clã por causa das denúncias de candidaturas laranjas no PSL, o secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, está exilado em um flat a 500 metros do Palácio do Planalto e mandou recado de que só deixa o cargo com uma “saída honrosa” do governo.

Leia também: “Eu posso cair. Caso isso aconteça, Bolsonaro cai junto”, ameaça Bebianno

Bebianno, que não está na agenda de Bolsonaro nesta sexta-feira (15), se encontrou com os Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, e general Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria de Governo, na noite de quinta-feira (14).

Em entrevista à revista Crusoé, Bebianno mandou recado a Carlos Bolsonaro (PSC/RJ), com quem vem tendo atritos desde a campanha – intensificados durante a transição.

“Não sou moleque, e o presidente sabe. O presidente está com medo de receber algum respingo. Ele foi um mero candidato. Ele não participou de Executiva, ele não tinha mando no partido. Ele não tem responsabilidade nenhuma”, disse Bebianno.

Em clima quente, antes do encontro com militares e aliados próximos a Bolsonaro, Bebianno fez chegar ameaças ao presidente. “Eu posso cair. Caso isso aconteça, Bolsonaro cai junto”.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.