Fábio Faria tira verba de Sílvio Santos e da Record e dá pra Globo por ordem do TCU

Genro do dono do SBT, o ministro das Comunicações teve que realinhar as verbas das emissoras; até então, o governo Bolsonaro favorecia aliadas

Logo em sua chegada ao ministério das Comunicações, em junho de 2020, Fábio Faria, genro de Sílvio Santos, foi obrigado, por determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), a realinhar as verbas da publicidade estatal federal da Secom (Secretaria de Comunicação) do Palácio do Planalto.

Desde 2019, o primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro (Sem Partido), a Record, emissora de Edir Macedo, é a que mais se beneficia quando somados os recursos destinados pela Secom. Nesses 3 anos, a emissora do pastor acumula R$ 58,8 milhões. O SBT, em 2º, recebeu R$ 53,5 milhões. A Globo, apesar de ser a primeira em audiência, está em 3º lugar no acumulado da administração bolsonarista na Secom, com R$ 47,2 milhões.

Os dados são do Poder360, que só teve acesso aos recursos programados pela Secom e não o total de gastos em publicidade estatal federal das administrações direta e indireta. Por conta disto, ficam de fora os gastos com propaganda realizados por Petrobras, bancos públicos e pagamentos dos próprios ministérios para campanhas específicas. O site avisa que essas informações completas e compiladas não estão mais disponíveis ao público desde 2017, com a chegada de Michel Temer ao Planalto.

Emissoras aliadas

Relatório do TCU de novembro de 2019 indicou que a Secom do governo destinava maiores percentuais de verbas publicitárias para a Record TV e o SBT, mesmo que as emissoras não sejam líderes em audiência. O documento indicava assimetria no pagamento.

Ao se considerarem os investimentos totais da secretaria em empresas de mídia e não só nas emissoras de TV, a remessa destinada à Globo caiu de 27% no fim do governo Dilma para 10% no atual momento do governo Bolsonaro.

Comparados os índices de audiência de cada emissora no período de outubro de 2020 a outubro de 2021, a Globo figura isolada na liderança. A porcentagem do número de espectadores comparada aos níveis das concorrentes é de 31%, enquanto Record TV e SBT aparecem com 12% e 10%, respectivamente.

A partir da determinação, que o genro de Sílvio Santos foi obrigado a acatar, a emissora líder em audiência passou novamente a receber mais recursos. Paralelamente, o SBT teve uma redução de investimento.

Com informações do Poder 360

Publicidade
Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.