Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
13 de março de 2019, 19h57

Fatos e dúvidas sobre a suposta relação entre Bolsonaro e o assassinato de Marielle – Por Thais Moya

A doutora em sociologia Thais Moya compilou fatos que abrem ainda mais questionamentos sobre a suposta relação entre a família Bolsonaro, as milícias do Rio de Janeiro e o assassinato de Marielle Franco

Reprodução

Por Thais Moya*

1) Ronnie Lessa é um dos melhores assassinos profissionais do país (quiçá, o melhor), temido pelas milícias e membro do conhecido Escritório do Crime, uma empresa que mata por encomenda por preços milionários;

2) Adriano da Nóbrega (foragido), também miliciano, é o chefe do Escritório do Crime. Sua mãe e irmã trabalharam no gabinete de Flávio Bolsonaro, o primogênito do presidente; 

3) Bolsonaro discursou, no plenário da Camara, em defesa de Adriano, em 2005, logo depois que ele foi condenado por homicídio;

4) Dois anos antes, 2003, Flávio Bolsonaro, concedeu a mais importante medalha de honra do estado fluminense ao mesmo Adriano;

5) Lessa e Queiroz, presos ontem, estão sendo investigados pelas polícias fluminense e Federal desde o semestre passado;

6) Dogde, Procuradora-Geral da Republica, recebia relatórios frequentes da investigação;

7) General Heleno é Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência do Brasil, ou seja, tem acesso à toda Inteligência nacional;

8 ) O mesmo General Heleno passou os últimos meses alardeando que Bolsonaro corre enorme risco de atentado contra sua vida;

9) Segundo a Folha, é possível ver o quarto da caçula de Bolsonaro da varanda da casa do miliciano Lessa, especialista em tiro/fuzil;

10) Há meses, a PF investiga a facada contra Bolso em Juiz de Fora;

11) Bolsonaro faz questão de acompanhar a investigação, e repetiu, várias vezes, que acredita que Adélio não agiu sozinho;

12) Bolsonaro tem equipe de segurança de excelência presidencial há pelo menos 2 meses e meio;

13) Bolsonaro afirmou, hoje, que não se lembra de Lessa, seu vizinho, de poucos passos, há anos.

Ficam, portanto, as perguntas: você acredita em Bolsonaro?

Acha mesmo que ele não sabia ou não foi avisado que o quarto de sua filha estava vulnerável à mira de um matador de aluguel?

Faz algum sentido a PF, PGR e GSI permitirem que o presidente eleito e sua família vivesse sob ameaça iminente de um miliciano altamente perigoso, que mata por encomenda?

O que está sendo omitido que pode explicar o fato de toda Inteligência e Forças do país concluírem que Lessa não é uma ameaça a Bolsonaro e sua família?

*Thais Moya é doutora em Sociologia


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum