sexta-feira, 18 set 2020
Publicidade

Feliciano afirma que “esquerdista demora para morrer porque a bala não acha o cérebro”. Vídeo

Feliciano disse que o PSOL não é um partido por “sonhar com o caos” e pregar “o céu vermelho” na terra – Foto: Reprodução

O deputado federal e pastor Marcos Feliciano (Podemos) voltou a polemizar, ao falar sobre o assassinato da socióloga e vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ). Durante entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, ele voltou a atacar e disse, grosseiramente, que um esquerdista demora uma semana para morrer porque a bala fica procurando o cérebro. No vídeo, o trecho em que ele começa a falar sobre Marielle começa aos 15 minutos. Feliciano declarou, ainda, segundo O Estado de Minas, que o PSOL não é um partido por “sonhar com o caos” e pregar “o céu vermelho” na terra. Disse, também, que “estão fazendo uma plataforma política em cima do caixão dela”.

Foi quando soltou a frase: “O cérebro do esquerdista é do tamanho de uma ervilha. Há pouco tempo fiquei sabendo que deram um tiro num esquerdista no Rio de Janeiro e levou uma semana pra morrer porque a bala não achava o cérebro”, disse. Feliciano duvidou de que Marielle era uma liderança política. “Líder política do quê? Qual o partido dela mesmo?”. Afirmou, ainda, que a vereadora é somente mais uma na estatística, um número.

Durante a entrevista, Feliciano voltou a atacar Caetano Veloso, reafirmando, conforme fez em 2017, por meio de um vídeo, que o artista estuprou Paula Lavigne, sua ex-esposa, porque ambos teriam começado um relacionamento quando ela tinha 13 anos. Caetano entrou com uma queixa-crime contra o pastor.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.