quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Filhos de Bolsonaro montam ofensiva nas redes para defender o pai

Depois do pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro em rede nacional defendendo o fim do isolamento durante a pandemia do coronavírus, filhos do ex-capitão, como Flávio e Eduardo Bolsonaro, montaram uma ofensiva nas redes sociais para fortalecer o discurso do pai.

Os dois fizeram publicações no Twitter insistindo no argumento de que o isolamento é ruim para a economia, mesmo discurso que tem sido utilizado pelo presidente norte-americano Donald Trump e demais membros do partido Republicano, também repercutido nas redes sociais pela milícia virtual bolsonarista.

Durante o pronunciamento, Bolsonaro voltou a atacar a imprensa e governadores, além de repetir que há uma “histeria” em torno de uma “gripezinha”. “Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. Devemos sim voltar à normalidade. Algumas autoridades devem abandonar medidas de isolamento”, afirmou.

Para apoiar o discurso do pai, o senador Flávio Bolsonaro (RJ) publicou o vídeo de um homem dentro de uma agência bancária vazia, criticando “petistas” que estão “encostados” enquanto recebem o Bolsa Família, e escreveu: “Mantendo-se o isolamento total das pessoas, a previsão é de chegarmos a 40 MILHÕES DE DESEMPREGADOS. Certamente muito mais pessoas morreriam. Parabéns Pres @jairbolsonaro pela coragem de agir no agora e pensar no pós-crise. Isso que se espera de um estadista”.

Em outra publicação, o senador compartilhou o vídeo de um caminhoneiro chorando enquanto pede a abertura de fronteiras dos países. “O remédio não pode ser mais letal que a própria doença”, disse o filho do presidente. Em todas as postagens, Flávio escreve a hashtag #OBrasilNaoPodeParar, como forma de mobilizar a extrema direita pelo fim do isolamento.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) tem igualmente compartilhado publicações defendendo o discurso do pai. Em uma delas, Eduardo publicou um vídeo com discursos de políticos da extrema direita do Brasil e do mundo pedindo o fim do isolamento durante o coronavírus. De acordo com o deputado, todos sustentam o argumento de que a quarentena é ruim para a economia.

“Se preparar não é sair prontamente. Mas é já ir pensando na ideia Até quando então ficaremos de quarentena por conta de um vírus que em determinados grupos é quase não letal?”, escreveu o deputado.

Em outra publicação, Eduardo compartilhou o trecho de uma reportagem da TV Globo sobre o impacto do coronavírus no comércio de São Paulo. “Cadê a responsabilidade?”, escreveu.

Confira:

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.