Fórum Educação
02 de março de 2020, 06h54

Flávio Dino defende aumento de taxação de bancos e grandes fortunas

Em entrevista, Dino ainda afirmou que o STF "permitiu" o golpe contra Dilma Rousseff, abrindo caminho para uma ruptura institucional, que resultou na eleição de Bolsonaro

Flávio Dino (Foto: Divulgação)

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), defendeu um aumento da taxação sobre bancos e grandes fortunas como forma de reduzir a desigualdade social no país.

“Um bom exemplo que falta hoje para o Brasil é aquele que tem iate, helicóptero, jet-ski, patrimônios milionários, os bancos que têm lucros gigantescos, se submeterem ao regime tributário praticado na OCDE”, afirmou em entrevista ao jornalista Fernando Rodrigues, divulgada na noite deste domingo (1°), no SBT.

“Já que a OCDE, o clube dos países ricos, é o modelo para o atual governo, basta praticar a média dos tributos sobre os ricos e o Brasil anda melhor”, complementou, alfinetando o “namoro” de Jair Bolsonaro com o presidente dos EUA, Donald Trump, para alçar o Brasil ao organismo multilateral.

Na entrevista, Dino ainda afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) “permitiu” o golpe contra Dilma Rousseff, abrindo caminho para uma ruptura institucional, que resultou na eleição de Bolsonaro.

“Então o Supremo participou do ‘golpe’?”, questionou Fernando Rodrigues. “Na verdade, permitiu. Porque havia uma conjuntura naquele momento de isolamento político e uma crise econômica. E o Supremo, naquele momento, adotou uma postura chamada de autocontenção, de autorrestrição ou de autolimitação. Ou seja, Supremo resolveu não intervir. Atuou como guardião das regras do jogo. Lembra-se que teve uma liminar do ministro Barroso na ocasião e o ministro Lewandowski foi lá presidir 1 processo posto no Senado e o Supremo optou por nunca julgar se havia ou não causa legítima”

Para Dino, “se não tivesse ocorrido o impeachment, não existiria Bolsonaro”.

“O arranjo da nova República teria continuado de pé. O bolsonarismo é a corrente política da direita, que destrói o pacto político que foi feito, quando da Constituinte, aliás, quando das Diretas Já, antes, e ele rompe com esse pacto. Não teria ocorrido esta ruptura se não tivesse ocorrido a ruptura do impeachment”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags