Fórumcast #19
16 de junho de 2019, 21h46

Funcionários do BNDES farão protesto contra precarização do órgão

Manifestação está marcada para a próxima quarta-feira (19)

O Banco Nacional de Desenvolvimento passa por um momento conturbado. Neste final de semana, depois de Jair Bolsanaro fazer críticas através da imprensa ao seu respeito, Joaquim Levy pediu demissão, neste domingo (16) do cargo de presidente do órgão. O ministro da economia Paulo Guedes já está correndo atrás de um novo nome. Em meio a tudo isso, funcionários da empresa estatal se queixam da forma com que o governo federal vem tratando o BNDES.

Na próxima quinta-feira (20) o banco completa 67 anos de existência. Um dia antes os servidores marcaram uma manifestação contra o que eles chama de “desconstrução antipatriótica” da entidade. O ato está marcado desde o dia 13, antes da demissão de Levy, mas ganhará mais força depois dos últimos acontecimentos.

Em governos passados o BNDES era um órgão de fomento ao desenvolvimento do país. Cenário bem diferente do que ocorre hoje, segundo servidores. A gestão de Paulo Guedes quer que o banco seja responsável, dentre outras coisas, pelo processo de privatizações de órgãos público.

Veja também:  Casal de idosos provoca a própria morte por não poder pagar por assistência médica nos EUA

“A manifestação é contra a antipatriótica desconstrução do BNDES, em especial a medida do relator da reforma da Previdência de acabar com os repasses constitucionais do PIS e Pasep para o BNDES”, informam o funcionários do banco através de uma nota.

De acordo a Associação dos Funcionários do Banco Nacional de Desenvolvimento, estarão presentes na manifestação de quarta-feira ao menos cinco ex-presidentes da instituição. Dyogo de Oliveira, Paulo Rabello de Castro, Luciano Coutinho, Luiz Carlos Mendonça de Barros e André Franco Montoro Filho comparecerão ao ato, segundo o grupo de servidores.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum