Fux: Desobediência de Bolsonaro ao STF é crime de responsabilidade

Após discurso fraco de Arthur Lira, o presidente do STF pressionou o Congresso Nacional

Em reação aos atos golpistas promovidos pelo presidente Jair Bolsonaro no 7 de setembro, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, fez duro discurso nesta quarta-feira (8). O magistrado condenou a retórica antidemocrática do chefe do Executivo e apontou crime de responsabilidade caso Bolsonaro, de fato, desrespeite decisões da Corte.

“A crítica institucional não se confunde, e nem se adequa, com narrativas de descredibilização do STF e de seus membros, tal como vem sendo gravemente difundidas pelo Chefe da Nação. Ofender a honra dos ministros, incitar a população a propagar discursos de ódio contra o STF e incentivar o descumprimento de decisões judiciais são práticas antidemocráticas e ilícitas, intoleráveis”, afirmou Fux.

“O Supremo Tribunal Federal também não tolerará ameaças à autoridade de suas decisões. Se o desprezo às decisões judiciais ocorre por iniciativa do chefe de qualquer dos poderes, essa atitude, além de representar um atentado à democracia, configura crime de responsabilidade, a ser analisado pelo Congresso Nacional”, disse ainda.

O recado ao Congresso acontece logo após o o discurso bastante moderado do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

O ministro disse ainda que “questionamentos às decisões judiciais devem ser realizados não através da desobediência, da desordem, do caos, mas pelos recursos que as vias processuais oferecem”. “Ninguém, ninguém fechará esta Corte”, afirmou.

Fux ainda insinuou que Bolsonaro seria um “falso profeta do patriotismo” que atua contra a democracia e o STF e fez um apelo: “Povo brasileiro, não caia na tentação das narrativas fáceis e messiânicas, que criam falsos inimigos da nação”.

Notícias relacionadas

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR