Fux sobe o tom e cancela reunião com Bolsonaro: “Pressuposto de diálogo é respeito mútuo”

Presidente do STF reagiu aos novos ataques do chefe do Executivo; "Diálogo eficiente pressupõe compromisso permanente com as próprias palavras, o que infelizmente não temos visto"

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, reagiu aos novos ataques de Jair Bolsonaro contra ministros da Corte e subiu o tom contra o presidente. Durante a sessão do Supremo desta quinta-feira (5), o ministro anunciou o cancelamento de reunião que aconteceria entre os chefes dos Três Poderes brasileiros (Executivo, Legislativo e Judiciário).

“Como presidente do STF, alertei o presidente da República em reunião realizada nesta Corte, durante as férias coletivas, sobre os limites do exercício do direito da liberdade de expressão, bem como ser necessário e inegociável o respeito entre poderes para harmonia do pais”, afirmou Fux no início de seu discurso.

“Contudo, como tem noticiado a imprensa, nos últimos dias o presidente da República tem reiterado ofensas, ataques e inverdades contra integrantes desta Corte. Quando se atinge um dos integrantes, se atinge a Corte por inteiro. Além disso, sua Excelência mantem interpretações equivocadas de decisões e insiste em colocar em suspeição a rigidez do sistema eleitoral”, prosseguiu o ministro, pouco antes de anunciar o cancelamento da reunião e mandar recado para Bolsonaro.

“Diante disso, informo que está cancelada a reunião outrora anunciada entre os chefes dos Poderes. O pressuposto do dialogo entre os Poderes é o respeito mútuo entre instituições e seus integrantes. Diálogo eficiente pressupõe compromisso permanente com as próprias palavras, o que infelizmente não temos visto no cenário atual”, disparou.

Assista.

Novos ataques

Na manhã desta quinta-feira (5), Bolsonaro voltou a desafiar e tentar ridicularizar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luís Roberto Barroso após ter sido incluído como investigado no inquérito das fake news.

O presidente ainda voltou a fazer a piada de que a tecnologia do TSE é “impenetrável”. “Vou usar a palavra que o Barroso gosta”, disse.

Mais adiante, Bolsonaro desafiou a Justiça: “E outra, estão me processando por isso. Olha o que é a ditadura da toga. O que dois ministros estão fazendo no Supremo, Barroso e Alexandre de Moraes. Vão me investigar! Será que vão dá uma sentença? Fazer uma busca e apreensão no Alvorada como fazem com o povo comum aí? Será que vão fazer isso?”, e encerrou: “vão mandar quem aqui? PF ou Forças Armadas?”

Publicidade

Notícias relacionadas

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR