Gilmar Mendes diz que a cada dia coloca informação nova em ação sobre suspeição de Moro

O ministro do STF diz que seu voto no caso está “praticamente pronto”, mas que o caso ultrapassou a "questão Lula" e se tornou algo "muito maior"

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes tem dito que o tempo “tem feito bem” à ação que envolve a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro no caso do triplex atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ministro diz que seu voto no caso está “praticamente pronto”, mas o magistrado confidenciou a auxiliares que, a cada dia, coloca uma informação nova em sua manifestação. Quando fala sobre o julgamento, o ministro diz que esse caso ultrapassou a “questão Lula” e se tornou algo “muito maior”.

O caso está parado desde 2018, quando Gilmar Mendes pediu vista.

Mendes declarou, em entrevista concedida na semana passada a Nathalia Passarinho, da BBC News Brasil, que a Operação Lava Jato “apoiou a eleição de Jair Bolsonaro”, “atuou na prisão de Lula”, “tentou influenciar o processe eleitoral” e “agiu para perturbar o país” durante o governo de Michel Temer (MDB).

Se nós olharmos, a Lava Jato tinha candidato e tinha programa no processo eleitoral. E atuou, inclusive, para perturbar o Brasil em termos institucionais”, declarou ainda o ministro.

Próximo de liberar para julgamento a ação em que a defesa de Lula pede a anulação da sua condenação no caso do tríplex de Guarujá, Gilmar Mendes ressaltou que o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, Sérgio Moro, “fez tudo o que não condiz” com o que se espera da relação entre juiz e Ministério Público em uma investigação criminal.

Gilmar Mendes abordou, em outro trecho, a suspeição do ex-juiz Sergio Moro. “Há muita discussão sobre uma atividade de promotor do juiz Moro. Mas o que se vê claramente é uma cooperação bastante grande entre o juiz Sérgio Moro e o promotor”, destacou.

“Moro, por exemplo, pedindo para ter conhecimento antecipado sobre a denúncia, ou Moro dizendo que uma determinada testemunha deve depor desta ou daquela forma. Ou que eventual apelação à decisão dele deveria ser submetida a ele. Portanto, tudo o que de fato não condiz com a relação entre promotor e juiz”, acrescentou.

Advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgaram, no final de janeiro, trechos de mensagens trocadas entre o ex-juiz Sergio Moro e procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato, entre eles Deltan Dallagnol. 

Os diálogos, que fazem parte da Operação Spoofing, comprovam que Moro orientou a acusação, o que é proibido por lei, e que a equipe de Dallagnol manteve conversas clandestinas com autoridades dos Estados Unidos e da Suíça – o que também é ilegal.

Segundo a defesa, até então haviam sido analisados apenas cerca de 10% dos 740 gigabytes de dados fornecidos de mensagens apreendidas com o hacker Walter Delgatti Neto.

Com informações da coluna de Bela Megale

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR