Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
19 de fevereiro de 2019, 17h35

Globo rebate declaração vazada de Bolsonaro: “Não cultivamos inimigos”

Em nota, o Grupo Globo comentou a conversa de Bolsonaro com o ex-ministro Gustavo Bebianno por Whatsapp, vazada pela Veja, em que o presidente diz que a emissora é "inimiga" e veta uma reunião do correligionário com o o vice-presidente de Relações Institucionais da empresa

Gustavo Bebbiano e Bolsonaro - Foto: Arquivo

O Grupo Globo colocou ainda mais lenha na fogueira da crise que atinge o governo Bolsonaro com uma nota divulgada no final da tarde desta terça-feira (19). No texto, a empresa que detém os maiores veículos de comunicação do país rebate a declaração do presidente Jair Bolsonaro de que a Globo é “inimiga” e em que veta uma reunião do ex-ministro Gustavo Bebianno com o vice-presidente de Relações Institucionais do grupo,  Paulo Tonet.

As declarações de Bolsonaro foram dadas em uma conversa com Bebianno via Whatsapp que foi vazada à revista Veja. O diálogo aconteceu no dia 12 de fevereiro, quando Bolsonaro estava internado no Hospital Albert Einstein, e desmonta a versão do presidente de que ele não havia conversado com o ex-ministro naquele dia.

“Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora… Inimigo passivo, sim. Agora… Trazer o inimigo para dentro de casa é outra história. Pô, cê tem que ter essa visão, pelo amor de Deus, cara. Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma porque cê tá trazendo o maior cara que me ferrou – antes, durante, agora e após a campanha – para dentro de casa. Me desculpa. Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final”, diz Bolsonaro no áudio vazado.

Na nota, o Grupo Globo afirma que “não tem nem cultiva inimigos” e que “a própria natureza de sua atividade jamais permitiria qualquer postura em contrário”.

Sobre a reunião vetada com Tonet, a empresa diz que “visitas de diretores do Grupo Globo a autoridades dos diferentes poderes, servidores públicos, executivos de empresas e representantes da sociedade civil são rotineiras”.

Confira a íntegra da nota.

O Grupo Globo considera que não tem nem cultiva inimigos. A própria natureza de sua atividade jamais permitiria qualquer postura em contrário. Hoje, como sempre, sua missão é levar ao público jornalismo independente – dando transparência a tudo o que é relevante para o País – e entretenimento de qualidade. Continuaremos a trabalhar nesta mesma direção.

A visita de Paulo Tonet Camargo, Vice-Presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, ao então ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, constava da agenda pública do ministro, divulgada na internet. Visitas de diretores do Grupo Globo a autoridades dos diferentes poderes, servidores públicos, executivos de empresas e representantes da sociedade civil são rotineiras. E, nesse aspecto, não nos diferenciamos de qualquer grupo empresarial que pretenda ouvir todas as vozes de uma sociedade livre, de forma transparente e com agenda pública, mantendo relações estritamente institucionais e republicanas

Laranjal 

A origem da crise entre Bolsonaro e Bebianno está em uma denúncia da Folha de S. Paulo sobre candidaturas de fachada do PSL – as chamadas candidaturas laranja – no ano passado. Mais de uma candidata a deputada federal “receberam” altas quantidades de recursos do fundo partidário sendo que tiveram pouquíssimos votos. A suspeita é de desvio desses recursos, que são compostos de dinheiro público.

A Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (19), por 6 votos a 5, um convite para Gustavo Bebianno, explicar os repasses a candidatas laranjas do PSL em 2018.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum