#Fórumcast, o podcast da Fórum
20 de outubro de 2019, 19h20

Governo ainda não desistiu de colocar plano de capitalização dentro da reforma da previdência

Plano da equipe de Paulo Guedes é que o trabalhador crie uma forma de poupar o próprio dinheiro para garantir a sua aposentadoria. Medida que beneficia os bancos não deu certo no Chile

O governo federal não desistiu da ideia de incluir o regime de capitalização dentro da reforma da previdência. Esse item foi retirado do texto da proposta que foi aprovada na Câmara dos Deputados. Mesmo assim, Paulo Guedes e sua equipe ainda mantém a esperança de conseguirem incluir o plano que visa um maior lucro para os bancos e que obriga o trabalhador fazer uma poupança própria para garantir a sua aposentadoria.

“A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho esclarece que vai avaliar, após a promulgação da PEC 6/2019 [proposta de emenda à Constituição que trata da reforma da Previdência], sobre a conveniência de retomar o debate da criação de um sistema de capitalização no Regime Geral de Previdência Social (RGPS), sob a orientação do Ministério da Economia”, diz uma nota do governo onde mostra a sua intenção de emplacar a medida após a promulgação do texto.

A manobra governista alteraria a Constituição, como a ressaltado na mesma nota. “Não está em estudo eventual encaminhamento de nova proposta pelo governo por projeto de lei complementar ou outra forma fora da Constituição”.

O Chile foi o primeiro país da América do Sul a adotar o regime de capitalização para aposentadorias, modelo amplamente defendido por economista de viés liberal. Porém, quase quarenta anos após a implantação desse modelo previdenciário, o país deixou metade dos seus idosos sem aposentadorias.

De acordo com a Associação dos Aposentados e Pensionistas do Chile, o sistema previdenciário do país prometeu benefícios de 70% dos salários, mas paga hoje cerca de 35% para homens e 28% para mulheres. Por conta disso, as pessoas preferem permanecer informais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum