Fórumcast, o podcast da Fórum
03 de maio de 2019, 20h05

Governo corta 41% do orçamento para manutenção da UFRJ e futuro é incerto

“Sem reversão imediata desse corte, já nas próximas semanas vamos ter problemas graves de manutenção de atividades essenciais, como energia, limpeza, segurança”, disse o reitor Roberto Leher

Foto: UFRJ

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a maior do país com 65 mil estudantes matriculados, sofreu um duro golpe por parte do governo de Jair Bolsonaro.

A direção da instituição anunciou que sofreu um corte de 41% em seu orçamento, o que representa R$ 141 milhões. De acordo com Roberto Leher, reitor da UFRJ, a medida tem tamanha dimensão para a instituição que significa como se “o fim do ano tivesse sido antecipado”.

Na terça-feira (30), Abraham Weintraub, ministro da Educação, divulgou que a pasta faria um corte de 30% em todas as universidades federais.

Leher afirmou que as consequências para a instituição podem aparecer nas próximas semanas.

“Como a UFRJ é uma universidade grande e tem um gasto fixo de limpeza maior que as demais, e considerando que ela já vem operando em déficit muito grande, esse bloqueio impede que a UFRJ pague terceirizados”, disse o reitor.

Não há mais recursos para pagar as contas. “Sem reversão imediata desse corte, já nas próximas semanas vamos ter problemas graves de manutenção de atividades essenciais, como energia, limpeza, segurança, e segurança patrimonial. Há possibilidade de interrupção de pesquisa, temos hospitais de ensino que precisam desses recursos”, denunciou Leher.

Desconhecimento

Sobre a afirmação de Weintraub, que acusou a “intolerância de reitores de esquerda”, Leher rebateu. Disse que mostra o desconhecimento de Weintraub da universidade. O ministro tuitou esta semana: “Para quem conhece universidades federais, perguntar sobre tolerância ou pluralidade aos reitores de esquerda faz tanto sentido quanto pedir sugestões sobre doces a diabéticos”.

“Nós estamos ansiosos para conversar com o ministro e apresentar a ele essas instituições. Universidades que estão sob o pensamento único, que são dogmáticas, que adotam formas de pensamento fundamentalista são incapazes de produzir conhecimento. A pujança acadêmica da UFRJ é uma demonstração de que liberdade de pensamento é algo salutar”, ressaltou Leher.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum