Fórumcast, o podcast da Fórum
14 de maio de 2019, 21h26

Governo provoca nova balbúrdia com desmentido de recuo em relação a cortes na educação

Após o líder do PSL na Câmara ter anunciado que o presidente havia suspendido o bloqueio na educação, ministérios da Educação e da Economia, além da Casa Civil, desmentiram a informação de um dos aliados do próprio governo

Foto: Agência Brasil

O governo e seus próprios aliados definitivamente não se entendem. Depois que o Delegado Waldir, líder do PSL, partido de Jair Bolsonaro, anunciou que, em função das pressões, o presidente havia suspendido os cortes na educação, em seguida dois ministérios e a Casa Civil desmentiram o recuo.

O Ministério da Educação (MEC) e a Casa Civil contradisseram o aliado do governo, por intermédio de notas.

“Não procede a informação de que haverá cancelamento do contingenciamento no MEC. O governo está controlando as contas públicas de maneira responsável”, afirma o texto divulgado pelo MEC e pela Casa Civil.

“O Ministério da Economia esclarece que não houve nenhum pedido por parte da Presidência da República para que seja revisto contingenciamento de qualquer ministério”, divulgou a pasta de Paulo Guedes.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) tuitou: “Atenção! O ministro da Educação, com quem estou agora, garante que o contingenciamento nas Universidades permanece. Informação confirmada pela Casa Civil e pelo nosso ministro Paulo Guedes. O Governo Jair Bolsonaro sabe o que faz. O resto é boato barato”.

O líder do PSL na Câmara, Deputado Waldir, havia declarado: “O presidente ligou para o ministro na nossa frente e pediu para rever. O ministro tentou contra-argumentar, mas não tem conversa”.

Convocação e greve

Nesta quarta-feira (15), dia em que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, irá ao plenário da Câmara para tentar “explicar” os cortes no setor, o país prepara uma greve histórica contra o desmanche na Educação.

O ministro já falaria em comissão da Câmara, mas, diante do descontentamento dos partidos com o governo Jair Bolsonaro, optou-se por uma forma diferente de sabatina. Weintraub deve comparecer à Casa em um dia de intensas manifestações no país contra os cortes de orçamento de universidades.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum