Guedes diz, sem saber que era gravado, que filho de seu porteiro zerou no vestibular e foi aprovado no Fies

Frase foi dita na mesma reunião em que o ministro afirmou que a longevidade prejudica o estado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, resolveu dizer em reunião do Conselho de Saúde Suplementar (Consu), nesta terça-feira (27), que o filho do seu porteiro foi beneficiado pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) mesmo após zerar o vestibular.

Sem saber que era gravado, Guedes reclamou que o governo federal deu bolsas em universidades para “todo mundo” por meio do Fies. De acordo com ele, até quem não tinha a “menor capacidade” e “não sabia ler nem escrever” entrou na graduação por esse caminho.

“O porteiro do meu prédio, uma vez, virou para mim e falou assim: ‘Seu Paulo, eu estou muito preocupado’. O que houve? ‘Meu filho passou na universidade privada’. Ué, mas está triste por quê? ‘Ele tirou zero na prova. Tirou zero em todas as provas e eu recebi um negócio dizendo: parabéns, seu filho tirou…’ Aí tinha um espaço para preencher, colocava ‘zero’. Seu filho tirou zero. E acaba de se endereçar a nossa escola, estamos muito felizes”, disse Guedes.

A frase foi dita no mesmo encontro em que Guedes afirmou que o Chinês “inventou” o novo coronavírus. Na mesma ocasião, ele criticou o aumento da expectativa de vida no Brasil.

“Todo mundo quer viver 100 anos, 120, 130 (anos). Não há capacidade de investimento para que o Estado consiga acompanhar”, disse.

Guedes não foi o único pego de calças curtas no encontro. No mesmo dia, o ministro da Justiça, Luiz Eduardo Ramos, disse que se vacinou “escondido” e que incentiva o presidente Jair Bolsonaro a se imunizar por temer pela vida do mandatário.

Com informações do Estadão

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR