Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
05 de novembro de 2019, 18h46

Guedes quer impor censura política a servidores e extinguir estabilidade de quem é filiado a partido

"[Quem] tem filiação partidária, não é funcionário do Estado brasileiro, é militante", afirmou o ministro da Economia

O ministro Paulo Guedes - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, deseja impor censura e proibir que servidores públicos filiados a partidos políticos tenham estabilidade. Durante apresentação do plano “Mais Brasil”, ele defendeu que quem tem vínculo partidário é “militante” e não funcionário do Estado.

“[Quem] tem filiação partidária, não é funcionário do Estado brasileiro, é militante. Pode ser militante à vontade, mas não pode ter estabilidade”, afirmou Guedes, durante apresentação do plano, que prevê uma grande reforma no funcionalismo público.

Além da censura contra servidores, o ministro pretende reduzir o número de carreiras do serviço público de 30 para 20. “A reforma administrativa está pronta. O Congresso pode mexer à vontade”, disse ainda, sem estipular data para a apresentação do texto ao Legislativo.

Mais cedo, Guedes entregou ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), três PECs, entre elas a do Pacto Federativo, que prevê, entre outras medidas, extinção de municípios com menos de 5 mil habitantes e menos de 10% de arrecadação própria.

Crítica

A deputada Margarida Salomão (PT-MG) publicou nas redes um vídeo criticando as duas medidas. A parlamentar afirmou que Guedes cria inimigos para explicar a estagnação econômica do Brasil e considerou o ataque a servidores como “mais uma atrocidade”. “A proposta foi apresentada hoje, vamos ainda conhecer melhor, mas desde logo eu quero dizer: é um absurdo. Nós estaremos lutando contra essa redução de direitos, essa destruição do Estado brasileiro”, afirmou.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum