Hackers que passaram mensagens à Vaza Jato acessaram conversas de Eduardo e Carlos Bolsonaro

Segundo reportagem da Veja, as contas do Telegram dos filhos do presidente também foram alvos da operação

O hacker Walter Delgatti Neto, responsável por ceder mensagens da Operação Lava Jato ao editor do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, mostrou que também havia acessado contas do Telegram dos filhos do presidente, Eduardo e Carlos Bolsonaro, de acordo com reportagem da Veja.

Delgatti teria encaminhado imagens de um celular ligado às contas de Eduardo e Carlos à ex-deputada Manuela D´Ávila.

Não é sócio Fórum? Quer ganhar 3 livros? Então clica aqui.

Com o objetivo de provar que, de fato, tinha acesso às conversas de Carlos Bolsonaro, o hacker mostrou a imagem de mensagens enviadas por uma blogueira bolsonarista ao vereador. “Essa mulher que ajudou no spam de WhatsApp na campanha”, afirmou Delgatti à Manuela.

Ainda segundo a reportagem da Veja, as revelações de Walter Delgatti Neto à Polícia Federal (PF) fazem parte de um acordo de delação premiada entre as partes.

Na lista de alvos dos hackers consta a família Bolsonaro. A revista afirma que os invasores tentaram roubar mensagens de dois celulares do presidente. Sem sucesso. Contudo, conseguiram acessar a conta do aplicativo de mensagens Telegram de Eduardo e Carlos Bolsonaro.

Veja diz ainda que o aparelho usado pelos hackers era chamado de “biriri” e uma conta falsa no Telegram chamada “Brazil Baronil”. O celular ficava com o estudante Luiz Molição, que fechou um acordo com a PF e agia em parceria com Delgatti.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.