domingo, 20 set 2020
Publicidade

Heleno ataca presidente da OAB: “Desvio de caráter”

O general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), usou as redes sociais nesta quinta-feira (11) para atacar o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz. Ganhou repercussão uma fala do advogado que diz “não duvidar da participação da família Bolsonaro no assassinato de Marielle” e que “quem segue apoiando o governo é porque tem algum desvio de caráter”.

“Inacreditáveis as ofensas divulgadas pelo Pres da OAB. Projetou no Presidente da República e em seus 58 milhões de eleitores seus próprios recalques e defeitos: desvio de caráter, sentimentos de extremista de esquerda e fobias mal curadas. Lamentável e desprezível!”, afirmou o ministro.

Heleno é o segundo ministro a atacar Santa Cruz pelas declarações do presidente da OAB dadas durante café da manhã com jornalistas. O primeiro a criticá-lo foi Sérgio Moro, que disse que não vai receber o advogado por considerá-lo um “militante político-partidário”.

Em resposta, Santa Cruz afirmou que Moro “reduziu a função de ministro da Justiça à de advogado pessoal do presidente”. “Tenho dificuldade em acreditar que o ministro Moro tenha dito que só recebe quem concorda com ele. Aliás, política partidária ele faz desde que era juiz em Curitiba como demonstram as reuniões realizadas antes do segundo turno com a equipe do presidente”, afirmou em nota enviada à colunista Mônica Bergamo.

O presidente do OAB também soltou nota dizendo que o que ele falou foi tirado do contexto pela Revista Época, primeira a replicar a fala do advogado. “Bolsonaro explora os piores sentimentos que existem na nossa sociedade, como racismo, machismo e homofobia, incentivando o ódio. Essa não é a realidade do conjunto de apoiadores dele, que é composto de vários setores, que têm interesses legítimos. Gostaria de esclarecer que uma frase tirada do contexto dá uma ideia errônea do que falei e do que que penso”, disse.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.