Fórumcast #19
20 de março de 2019, 19h38

Humorista é alvo de comentários racistas após criticar Bolsonaro: “Macaco maconheiro”

Paulo Vieira usou o Twitter para criticar o comportamento do presidente durante encontro com Trump: “É o típico brasileiro médio que queria ter nascido nos Estados Unidos”

Foto: Reprodução/TV Record

Paulo Vieira, humorista e ex-integrante do Programa do Porchat, que era transmitido pela TV Record, foi alvo de ataques racistas no Twitter. A reação foi em consequência de críticas feitas por ele a Jair Bolsonaro, durante a viagem do presidente aos Estados Unidos.

“Bolsonaro acha chique assinar QUALQUER contrato com o governo americano. É o típico Brasileiro médio que queria ter nascido nos Estados Unidos. É o espírito da Barra encarnado. É a breguice, a estátua da liberdade no cinema, é o downtown…”, postou Vieira na segunda-feira (18), em referência à visita oficial de Bolsonaro aos Estados Unidos e os “acordos” assinados com Donald Trump.

A reação dos apoiadores de Bolsonaro foi, como de costume, de intolerância, o que provocou nova postagem de Vieira nesta quarta-feira (20):

“Hoje eu li TANTO comentário racista. Recebi tanta mensagem de ódio. Desde chamarem minha família de ‘cara suja’, ‘aparência sebosa’, ‘encardidos’ até ‘macaco maconheiro’. Motivo? Critiquei o governo. Que democracia é essa que persegue quem é ou pensa diferente? Que fase”, escreveu.

Veja também:  PSOL vai à PGR para barrar censura na Ancine e acusa Bolsonaro de improbidade

Vieira foi contratado pela TV Globo para a próxima temporada do Zorra, com início em abril.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum