Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
22 de janeiro de 2020, 19h30

In Fux We Trust: Dallagnol comemora decisão de suspender juiz de garantias

Fux, exaltado por Deltan e Moro em conversas da Vaza Jato, suspendeu o projeto que busca assegurar que os direitos individuais do investigado sejam preservados

Luiz Fux e Deltan Dallagnol - Foto: Montagem

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba, usou as redes sociais nesta quarta-feira (22) para comemorar a decisão de Luiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal, de suspender por tempo indeterminado a implementação do juiz de garantias, previsto no pacote anticrime aprovado pelo Congresso Nacional em dezembro de 2019.

“Ótima notícia. Em vez de reformas que melhorem nosso sistema de justiça que é disfuncional contra poderosos, as mudanças vêm trazendo retrocessos ou criando insegurança jurídica no trabalho anticorrupção”, declarou o procurador.

A medida de Fux é tomada dias após o ministro Toffoli adiar a implantação do sistema nos tribunais por 180 dias, decisão agora revogada. A suspensão vale até que o plenário do STF defina se as novas regras estão de acordo com a Constituição. Não há data prevista para análise, que depende do próprio Fux para entrar em pauta no Supremo durante seu plantão no Judiciário.

Nas mensagens reveladas pela série de reportagens da Vaza Jato, o ministro Luiz Fux é visto como um aliado pelos procuradores da Lava Jato e pelo ex-juiz federal Sergio Moro por defender os abusos da operação.

Em mensagem divulgada em junho do ano passado, Dallagnol conta para Moro sobre uma conversa que teve com o ministro Luiz Fux, do STF, que teria dado apoio à operação, após uma “queda de braço” entre o ex-juiz federal e o também ministro do STF, Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em janeiro de 2017. Em resposta, o atual ministro da Justiça e Segurança Pública comemorou: “Excelente. In Fux We trust”. Deltan, então, responde com um: “kkk”.

Fux foi o ministro do STF que derrubou entrevista que seria concedida pelo ex-presidente Lula, durante o período eleitoral, e também trancou as investigações contra o Flávio Bolsonaro no caso Queiroz.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum