Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de abril de 2019, 09h30

Instituto de donos da Havan e Riachuelo contratam 12 lobistas para atuar por reforma da Previdência

Instituto Brasil 200 vai abrir sede em Brasília. Lobby de empresários amigos de Bolsonaro faz chantagem por reforma - dizendo que se não for aprovada, não terá emprego - e prega fim de instrumento de combate à sonegação da Receita Federal

Empresários do Instituto Brasil 200 em reunião com o governo em Brasília (Reprodução)

Reportagem de Julio Wiziack, na edição desta sexta-feira (5) da Folha de S.Paulo, revela que o Instuto Brasil 200 – criado por empresários bolsonaristas e que reúne, entre outros os donos da Havan, Luciano Hang, e da Riachuelo, Flávio Rocha – vai abrir um escritório em Brasília nas próximas semanas e contratar 12 lobistas para atuar em prol da reforma da Previdência.

Leia também: Liderados por donos da Havan e da Riachuelo, empresários bolsonaristas chantageiam: Sem reforma não haverá empregos

Reunidos com o ministro da Casa Civi, Onyx Lorenzoni (DEM/RS), e com a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL/RJ), no Planalto no último dia 26, o grupo iniciou chantagem para aprovação da reforma da Previdência proposta pelo governo Jair Bolsonaro (PSL): não vai ter emprego se não sair a reforma, dizem.

Segundo o coordenador do instituto, Gabriel Kanner, o objetivo é usar, além da sede em Brasília, os 25 núcleos estaduais da instituição para tentar convencer principalmente os parlamentares do chamado “centrão”, hoje controlado pelo deputado Aguinaldo Ribeiro (PP).

Lobby contra a Receita
Focados no apoio à reforma da Previdência, o grupo de empresários bolsonaristas, no entanto, tem uma pauta mais ampla.

No almoço com Onyx e Joice, Hang apresentou uma lista de reivindicações do setor, criticou a Receita Federal e pediu o fim do E-Social, projeto do governo federal para unificar o envio de informações trabalhistas e previdenciárias, que tem como principal objetivo reduzir a sonegação de impostos.

“Eu entreguei lá, para o secretário, uma pauta para desburocratizar a nossa vida. E a primeira delas é acabar com o E-Social. E-Social é uma putaria do cacete. E isso está ligado com a Receita Federal”, disse Hang, que foi aplaudido euforicamente.

Além de Hang e Rocha, fazem parte do grupo João Apolinário (Polishop), Sebastião Bonfim (Centauro), Washington Cinel (Gocil), Edgar Corona (Smart Fit) — todos apoiaram Bolsonaro na campanha eleitoral.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum