Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
28 de Maio de 2019, 11h48

Intérprete de Libras rouba cena na entrevista do ministro da Saúde ao traduzir ‘maconha’ e ‘Bob Marley’

Ao traduzir fala do ministro sobre o fato de Bob Marley ser ídolo na Jamaica e, por isto, ter incentivado a juventude a fumar maconha a moça se superou. Veja o vídeo

Foto: Reprodução

O entrevistado desta segunda-feira (27), no programa Roda Viva foi Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde de Jair Bolsonaro (PSL-RJ). Quem roubou o show, no entanto, foi a intérprete de libras.

Ao traduzir fala do ministro sobre o fato de Bob Marley ser ídolo na Jamaica e, por isto, ter incentivado a juventude a fumar maconha a moça se superou.

Vale ver o vídeo:

Ministro investigado

Mandetta tem especialização em Ortopedia pelo serviço de Ortopedia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul UFMS, e sub especialização em Ortopedia Infantil pelo Scottish Rite Hospital for Children em Atlanta. Foi médico militar tenente no Hospital Geral do Exército e trabalhou ainda na Santa Casa de Campo Grande de 1993 a 1995.

Entrou para a Unimed de Campo Grande em 1998 como conselheiro fiscal e no ano seguinte, assumiu a presidência do conselho fiscal da cooperativa. Em 2001, foi eleito presidente da Unimed Campo Grande mandato que exerceu até 2004.

O período na prefeitura da capital do Mato Grosso do Sul lhe rendeu, além da experiência na gestão pública, uma investigação da Polícia Federal.

Mandetta foi investigado por prejuízos estimados em 8 milhões de reais à prefeitura pela aquisição e instalação do Gerenciamento de Informações Integradas da Saúde (Gisa). O sistema de informática foi comprado quando o parlamentar era secretário municipal de Saúde de Campo Grande.

Segundo o site local “O Jacaré” do jornalista Edvaldo Bittencourt, o caso tramitou no Supremo Tribunal Federal por três anos e meio, de 2 de fevereiro de 2015 até 23 de agosto deste ano, quando o ministro Luiz Fux determinou o envio para a primeira instância.

Nos autos da investigação, o democrata é acusado de favorecer o ConsórcioTelemídia & Technology Ltda e a empresa portuguesa Alert Serviços de Licenciamento de Sistemas de Informática para a Saúde em troca de favores pessoais relativos à campanha eleitoral de 2010.

A investigação contra o parlamentar é resultado da CPI da Saúde da Assembleia Legislativa, que encaminhou a denúncia para o MPF (Ministério Público Federal).


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum