Fórumcast, o podcast da Fórum
04 de dezembro de 2018, 14h10

Investigado na Máfia da Merenda, Fernando Capez vai comandar o Procon no governo Doria

Ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) foi denunciado pelo Ministério Público estadual por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O processo, no entanto, foi trancado pelo STF.

Governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB) confirmou nesta terça-feira (4) que o deputado estadual Fernando Capez será o diretor da Fundação Procon, entidade vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, que fiscaliza as relações entre empresas e consumidores.

“Vai comandar o Procon no nosso governo. Resposta clara e objetiva. Já foi convidado, já aceitou, e será o presidente do Procon”, disse Doria.

Ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Capez foi um dos investigados na chamada Máfia da Merenda e denunciado pelo Ministério Público estadual por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

O dinheiro desviado do Estado – cerca R$ 1 milhão, equivalente a 10% dos contratos – teria sido usado no pagamento de despesas da campanha de 2014 do tucano, inclusive dívidas que ficaram pendentes até 2015, segundo o MP.

O processo, no entanto, foi trancado pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) e a investigação suspensa depois que a defesa do deputado alegou coleta ilícita de provas.

Veja também:  Possível candidata à prefeitura de SP, Joice ironiza Bruno Covas: "minha mãe também é bacana, e nem por isso serve para ser prefeita"

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Máfia da Merenda
Mobilizada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo, a Operação Alba Branca, para apurar desvios e fraudes na compra de suco para a merenda escolar em São Paulo, veio a público em 19 de janeiro de 2016, quando membros da Coaf (Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar), de onde partiu a investigação, acusaram políticos de receber propina para liberar contratos com o governo e municípios.

Detidos, os então integrantes da Coaf disseram em depoimento que, nos contratos relativos ao Estado (de R$ 11,4 milhões), a propina foi negociada com ex-assessores do gabinete de Capez (PSDB). À epoca, todos negaram participação em crimes.

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum