Janaína Paschoal ataca padre Julio Lancellotti por “distribuição de alimentos na Cracolândia”

Ostentando foto com imagem de Jesus na rede, Janaína Paschoal recebeu uma enxurrada de críticas ao atacar o padre. Polícia tentou impedir Júlio Lancellotti de distribuir comida no centro de SP

Ostentando uma foto segurando uma imagem de Jesus nas redes sociais, a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), artífice do golpe parlamentar de 2016, atacou o padre Júlio Lancellotti após a polícia tentar impedir o religioso de levar comida aos moradores de rua da região conhecida como Cracolândia, no centro de São Paulo, neste sábado (7).

Leia também: Perfil divulga Pix de Julio Lancellotti em tuite higienista de Janaína Paschoal e gera onda de solidariedade

Para Janaína Paschoal, “a distribuição de alimentos na Cracolândia só ajuda o crime” e a ação do padre acaba atrapalhando quem mora e trabalha na região.

“As pessoas que moram e trabalham naquela região já não aguentam mais. O Padre e os voluntários ajudariam se convencessem seus assistidos a se tratarem e irem para os abrigos. A distribuição de alimentos na Cracolândia só ajuda o crime. O tema precisa ser debatido com honestidade”, tuitou.

A publicação causou revolta contra a deputada na rede. “Isso, que morram de fome”, ironizou o advogado Augusto de Arruda Botelho.

“Janaina, a imagem que você segura em sua foto de perfil é Jesus, talvez você não o conheça e só usou a imagem pra foto, mas ele com toda certeza, ficou enojado lendo esse seu tweet”, escreveu o deputado federal André Janones (Avante-MG).

“Existem pessoas más. Existem pessoas terrivelmente más. E existe a Janaina Paschoal”, comentou a jornalista Rita Lisauskas.

Leia mais repercussões

Publicidade
Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR